AQUI VOCÊ VAI CONHECER O OUTRO LADO DA MOEDA! NÃO PERCA TEMPO! NAVEGUE !!

Israel

Cidade Santa!

Brasil, sua influência 

na Nação de Israel.

Porque o Brasil é abençoado

pelo Deus de Abraão, Deus de Israel, o Deus verdadeiro?

Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aqueles que te amam”.

Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios”.

Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Haja paz dentro de ti.“(Salmo 122.6-8).

 

 www.itablogncoisas.com

Aqui você vai conhecer o outro lado da moeda!

Vitória de Israel

É com satisfação e prazer que tento escrever algo de grande valor, talvez para algumas pessoas não haverá tanta importância assim, provavelmente muitos ainda não conhecem essa história, tão importante para o Brasil. Pouco se fala, e o porquê desta tradição até hoje. 

Segunda-feira, 23 de setembro de 2013 às 15:09 (BLOG DO PLANALTO)

Presidenta Dilma abre a 68ª Assembleia-Geral da ONU nesta terça-feira 

Tradição brasileira

Embora não seja citada em nenhum estatuto oficial da ONU, é tradição que o Brasil faça o discurso de abertura das assembleias-gerais. A prática remete a 1947, quando o então ministro de Relações Exteriores Oswaldo Aranha presidiu a abertura do primeiro encontro.

Desde então, a delegação brasileira é responsável pelo discurso inicial das assembleias. A tradição se manteve mesmo nos anos de ditadura militar (1964-1985), quando, no lugar do presidente, a chancelaria do Itamaraty representou oficialmente o país. Além de ser um dos Estados fundadores da organização, o Brasil também foi o primeiro país a aderir à ONU.

Nós vamos relatar o que aconteceu neste período, para que você VALORIZE  mais o BRASIL e exalte mais o Deus de Israel, o Deus de Abraão e o Deus de Davi o nosso Deus.

Brasil é um país abençoado, muitos não sabem o porque, sendo assim, atribuem essas bênçãos a vários outros deus. Ao longo desse estudo veremos os motivos que levou o Deus de ABRAÃO, o Deus ISRAEL, o Deus VERDADEIRO nos abençoar, com riquezas e principalmente com a PAZ, por isso somos tão pacíficos em tudo, mesmo com os pequenos conflitos internos,(por ausência do Estado).

Logo percebemos, que temos que se preocupar mais, com duas colunas principais de uma sociedade, as quais fazem um equilíbrio no ser humano, a religião e a política, para que tenhamos um país digno e mais abençoado por Deus. Isso não quer dizer que devemos misturar. Um bom exemplo:  “óleo nunca se mistura com a água”, mas contudo, podem até andarem juntos.

Informativo para um melhor esclarecimento:

O IBGE e a religião 2010 — Cristãos são 86,8% do Brasil; católicos caem para 64,6%;( muitos não são praticantes) evangélicos já são 22,2% (praticantes). Mesmo assim, estamos no rumo certo, Glória Deus!! A previsão para 2020 é de ter um Brasil com 50% de cristãos (praticantes), para Honra e Glória do nosso Senhor JESUS CRISTO!

A MAIOR RIQUEZA DO MUNDO, QUE UM PAÍS PODE TER: A ÁGUA.

Hoje já temos a maior concentração de água potável do mundo! É ou não É um país abençoado? O Brasil terá a maior concentração do planeta de água viva, que é a Palavra de Deus: Jesus Cristo.

Se tratando de águas, o Brasil está realmente deitado em berço esplêndido. O país possui a maior concentração de água doce do mundo (cerca de 12%) disponível em rios – ou seja, que pode ser utilizada para consumo. Esse percentual é o dobro de todos os rios da Austrália e da Oceania; 42% superior aos da Europa; e 25% a mais do que os do continente africano. Glória Deus!!!!!

Organização das Nações Unidas (ONU)

A Liga das Nações, tendo fracassado em manter a paz no mundo, foi dissolvida. Estava extinta por volta de 1942. Porém, em 18 de abril de 1946, o organismo passou as responsabilidades à recém-criada Organização das Nações Unidas, a ONU.

A ONU foi fundada em 1945 após a Segunda Guerra Mundial para substituir a Liga das Nações, com o objetivo de deter guerra entre países e para fornecer uma plataforma para o diálogo. Ela contém várias organizações subsidiárias para realizar suas missões.

A ONU foi oficialmente criada em 26 de junho de 1945, quando representantes de 50 países assinaram a Carta de São Francisco. Seu formato, porém, começou a ser discutido pelas grandes potências nas conferências aliadas realizadas a partir de 1943.

OBJETIVOS: A ONU foi criada com os objetivos principais de salvaguardar a paz mundial, proteger os direitos humanos, fomentar direitos iguais para todos os povos e melhorar os padrões de vida no mundo.

Além do Conselho de Segurança, outras características distinguem a ONU da Liga das Nações, (antes da existência da ONU) entre elas a determinação para que cada Estado-membro disponha de suas Forças Armadas para compor missões de paz ou para agir na eventualidade de a Organização ter de repelir um agressor.

Dois anos depois, em 1947, o diplomata brasileiro Oswaldo Aranha foi nomeado pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra como Chefe da Delegação Brasileira junto a ONU deu início à primeira assembléia, que se reúne para discutir questões políticas, econômicas, humanitárias, ambientais, culturais e outros temas de destaque no cenário internacional. Que iria decidir a questão Palestina. Desde então a sessão anual de trabalhos da Assembléia Geral anual é aberta por discurso de um representante do Brasil.

O Brasil foi escolhido por ter sido o primeiro país a virar membro das Nações Unidas, em 1945, após o fim da Segunda Guerra Mundial.

Israel

Usado por Deus!!

Osvaldo Euclides de Sousa Aranha (15 de fevereiro de 1894 — Rio de Janeiro, 27 de janeiro de 1960) foi um advogado, político e diplomata brasileiro.

Israel

Momento histórico!

 

Mas há uma mácula na vida de Oswaldo Aranha. Ele fez circular nas embaixadas brasileiras situadas na Europa, em 1943, ofícios onde restringia a concessão de vistos brasileiros em passaportes de judeus, o que fez com que milhares de hebraicos perdessem suas vidas em campos de concentração. Na época, Aranha era Ministro das Relações Exteriores. Ele foi tão incisivo nesta decisão que demitiu sumariamente o cônsul brasileiro em Marselha (França) Luiz Martins de Souza Dantas, o qual havia concedido diversos vistos aos judeus para que fugissem do horror nazista.

O que significa Visto: (do latim carta visa, lit. “o documento foi visto“) é um documento emitido por um país dando a um certo indivíduo permissão para entrar no país por um certo período de tempo e para certas finalidades. Muitos países requerem a posse de um visto válido como condição de entrada para estrangeiros, mas há exceções. Os vistos são geralmente carimbados ou anexados ao passaporte do destinatário.

Voltou à cena política em 1947, como chefe da delegação brasileira na recém-criada Organização das Nações Unidas (ONU). Presídio a I Assembléia Geral da ONU que votou o Plano da ONU para a partição da Palestina de 1947, que culminou na criação do Estado de Israel, fato que rendeu a Aranha eternas gratidões dos judeus e sionistas por sua atuação, em claro confronto com os países árabes da região. Essa atuação acarretou recrudescimento da inimizade entre judeus e árabes e mergulhou a região em conflitos contínuos que, até hoje, não conseguiram ser solucionados.

Israel

Divisão antiga

Plano da ONU para a partilha da Palestina de 1947

Israel

Domínio de Israel

Plano de Partilha da Palestina – ou, mais exatamente, daquilo que restava da Palestina, pois uma parte já havia sido separada para constituir a Transjordânia, em 1922 – foi um plano aprovado em 29 de Novembro de 1947 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, através da sua Resolução 181.

Partição (política)

Em política, uma partição é uma mudança das fronteiras políticas dividindo o território em duas ou mais entidades políticas distintas.

A região da Palestina pertenceu ao Império Bizantino, Turco Otomano, até que após a Primeira Guerra passou para o domínio Britânico. Logo abaixo terá mais detalhes. 

Após a Segunda Guerra, havia uma comoção muito grande para que os judeus tivessem uma pátria, em virtude do Holocausto. Alguns lugares foram sugeridos para a criação de um Estado judeu, (Israel) inclusive na África. Porém os judeus (Israel) achavam que só se sentiriam seguros se sua pátria fosse à Palestina, seu lugar de origem.

O governo Britânico se declarando incapaz de resolver a questão, deixou a cargo da recém criada Organização das Nações Unidas (ONU) decidir o que seria feito com a Palestina.

Israel

Vista Maravilhosa!

VAMOS CONHECER UM POUCO A PALESTINA:

Questão Palestina

Palestina (do original Filistina – “Terra dos Filisteus”) é o nome dado desde a Antiguidade à região do Oriente Próximo (impropriamente chamado de “Oriente Médio”), localizada ao sul do Líbano e a nordeste da Península do Sinai, entre o Mar Mediterrâneo e o vale do Rio Jordão. Trata-se da Canaã bíblica, que os judeus tradicionalistas preferem chamar de Sion.

A Palestina foi conquistada pelos hebreus ou israelitas (Israel) (mais tarde também conhecidos como judeus) por volta de 1200 a.C., depois que aquele povo se retirou do Egito, onde vivera por alguns séculos. 

Mas as sucessivas dominações estrangeiras, começadas com a tomada de Jerusalém (587 a.C.) por Nabucodonosor, rei da Babilônia, deram início a um progressivo processo de diáspora (dispersão) da população judaica, embora sua grande maioria ainda permanecesse na Palestina. 

DUAS REBELIÕES DOS JUDEUS:

PRIMEIRA: Rebelião dos judeus contra o domínio romano (em 66-70 e 133-135 d.C.) tiveram resultados desastrosos. Ao debelar a primeira revolta, o general (mais tarde imperador) Tito arrasou o Templo de Jerusalém, do qual restou apenas o Muro das Lamentações.

SEGUNDA: Rebelião dos judeus contra o domínio do imperador Adriano, ao sufocar a segunda, intensificou a diáspora (dispersor) e proibiu os judeus de viver em Jerusalém. A partir de então, os israelitas espalharam-se pelo Império Romano; alguns grupos emigraram para a Mesopotâmia e outros pontos do Oriente Médio, fora do poder de Roma.

A partir de então, a Palestina passou a ser habitada por populações helenísticas romanizadas (povo e costume romano); e, em 395, quando da divisão do Império Romano, tornou-se uma província do Império Romano do Oriente (ou Império Bizantino).

Em 1896, o escritor austríaco de origem judaica Theodor Herzl fundou o Movimento Sionista, que pregava a criação de um Estado judeu (Israel)na antiga pátria dos hebreus.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a Turquia lutou ao lado da Alemanha e, derrotada, viu-se privada de todas as suas possessões no mundo árabe. A Palestina passou então a ser administrada pela Grã-Bretanha, mediante mandato concedido pela Liga das Nações.

Mandato Britânico da Palestina

O Mandato Britânico da Palestina foi uma comissão legal para a administração da Palestina, cujo projeto foi formalmente confirmado pelo Conselho da Liga das Nações em 24 de julho de 1922 e entrou em vigor em 26 de setembro de 1923.

O objetivo formal do Sistema de Mandato da Liga das Nações foi justamente o de administrar os territórios integrantes do extinto Império Otomano, que dominara o Oriente Médio desde o Século XVI, “até que fossem capazes de se tornar independentes”.

O mandato formalizou o domínio Britânico na parte sul da Síria Otomana de 1923 a 1948. Em 16 de setembro de 1922, com o consentimento da Liga das Nações, o Reino Unido dividiu o território em duas áreas administrativas:

  • Palestina, a oeste do Rio Jordão, que ficaria sob domínio britânico direto até 1948;
  • Transjordânia, a leste do Jordão, que seria uma região semi-autônoma, governada pela família hachemita do Hejaz, na atual Arábia Saudita, de acordo com a Correspondência Hussein-McMahon de 1915. Na sequência do Memorando da Transjordânia de 1922, a área a leste do Jordão ficou isenta das disposições previstas no mandato em relação ao estado judeu(Israel) e ganhou sua independência em 1946.

Após a Segunda Guerra Mundial, o fluxo de imigrantes judeus tornou-se irresistível. Em 1947, a Assembléia Geral da ONU decidiu dividir a Palestina em dois Estados independentes: um judeu e outro palestino. Mas tanto os palestinos como os Estados árabes vizinhos recusaram-se a acatar a partilha proposta pela ONU.

A INFLUÊNCIA DO BRASIL, NO NOVO ESTADO DE ISRAEL.

E é ai que começa a participação brasileira na criação do Estado de Israel.

Em 1947 o Presidente Eurico Gaspar Dutra nomeia Osvaldo Aranha como Chefe da Delegação Brasileira junto a ONU. Ele acaba sendo nomeado Presidente da Assembléia Geral da ONU, que iria decidir a questão Palestina.

Após longas discussões foram apresentadas duas propostas:

-A primeira era a partilha da Palestina, criando um estado judeu e outro árabe.

-A segunda, proposta pelos países árabes, era da independência imediata da Palestina, uma vez que 70% da população era formada por árabes.

Em 25 de novembro houve uma votação a favor da partilha da Palestina e a liberação da migração de judeus para a região. O resultado dessa votação seria recomendado para a Assembléia Geral. Não era necessário dois terços para sua aprovação. O resultado foi de 25 votos a favor, 13 contra e 17 abstenções.

VOTOS:

Votaram a favor: Austrália, Bolívia, Brasil, Canadá, Costa Rica, Tchecoslováquia, Chile, Dinamarca, Equador, Estados Unidos da América, Guatemala, Islândia, Nicarágua, Noruega, Panamá, Peru, Polônia, República Dominicana, República Socialista Soviética da Bielorrússia, República Socialista Soviética da Ucrânia, Suécia, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, União Sul-Africana, Uruguai e Venezuela.

Votaram contra: Afeganistão, Arábia Saudita, Cuba, Egito, Índia, Irã, Iraque, Líbano, Paquistão, Tailândia, Síria, Turquia e Iêmen.

Abstenções: Argentina, Bélgica, Colômbia, China, El Salvador, Etiópia, França, Grécia, Haiti, Honduras, Libéria, Luxemburgo, México, Nova Zelândia, Países Baixos, Reino Unido e Iugoslávia.

Ausentes: Filipinas e Paraguai.

Apesar do resultado favorável à partilha, a votação na Assembléia Geral iria acontecer no dia seguinte, e para ser aprovada eram necessários dois terços dos votos, o que claramente não iria acontecer.

A votação deveria acontecer no dia seguinte e os sionistas (movimento que apóia a existência de um Estado Judeu) fizeram uma manobra que mudaria completamente o rumo da história.

ARTICULAÇÕES POLÍTICAS: Sabendo que não obteriam os dois terços necessários 38 votos, a intenção era ocupar a tribuna fazendo discursos o maior tempo possível para que a votação atrasasse. O representante Uruguai, Enrique Rodríguez Fabregat, fez bem esse papel discursando por um longo tempo.

Foi então que Osvaldo Aranha tomou uma atitude fundamental para a criação do Estado Judeu. Ele suspendeu a Assembléia, alegando que não haveria mais tempo para a votação, mesmo após os delegados árabes retirarem seus nomes da lista de oradores. No entanto eram em torno 18:30 e muito comum que as votações se entendessem até a meia noite. O que ele queria na verdade, era ganhar tempo para convencer os países a votarem a favor.

Começava agora uma corrida contra o tempo nos bastidores. Telefones e telegramas corriam por todos os continentes. Os sionistas trabalhavam para conseguir os votos que faltavam para a aprovação. Era necessário convencer diversos países da América Latina, e julgava-se mais difícil convencer a França e a Bélgica. Os árabes, por sua vez, trabalhavam para que a votação fosse iniciada o mais breve possível.

Um argentino chamado Moshe Tox teve um papel importante para convencer os países da América Latina. Ele passava o dia ao telefone tentando convencer os representantes de seus países a votar a favor enquanto seus emissários corriam por toda a parte do continente. A pressão feita era tanta que foram dados casacos de vison para as esposas dos delegados latino-americanos, e até talões de cheques em brancos.

No dia seguinte era feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos e não houve sessão. No outro dia o representante francês solicitou mais 24 horas de adiamento, que foi aceito pelo brasileiro. Todo esse tempo foi crucial para que os sionistas conseguissem os votos necessários.

No dia seguinte, 29 de novembro de 1947, o embaixador da Tailândia, deixou Nova York às pressas, alegando um princípio de revolução em seu país. Na verdade foi a maneira que ele encontrou para fugir da pressão tanto dos sionistas como dos árabes.

Osvaldo Aranha abre a sessão e após alguns discursos começa a votação. Os países foram chamados por ordem alfabética e os votos iam se alternando entre sim e não. Mas a vitória sionista já estava evidente. No final Aranha declara: 33 votos a favor, 13 contra, 10 abstenções e 1 ausência.

Votaram a favor: África do Sul, Austrália, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bielorússia, Canadá, Checoslováquia, Costa Rica, Dinamarca, Equador, Estados Unidos, Filipinas, França, Guatemala, Haiti, Holanda, Islândia, Libéria, Luxemburgo, Nicarágua, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Paraguai, Peru, Polônia, República Dominicana, Suécia, Ucrânia, União Soviética, Uruguai e Venezuela.

Votaram contra: Afeganistão, Arábia Saudita, Cuba, Egito, Grécia, Iêmen, Índia, Irã, Iraque, Líbano, Paquistão, Síria e Turquia.

Abstenções: Argentina, Chile, China, Colômbia, El Salvador, Etiópia, Honduras, Iugoslávia, México e Reino Unido.

Ausência: Tailândia.

Em todo lugar do mundo, judeus se abraçavam comemorando esse fato histórico. Após quase 2000 anos depois de eles terem sido expulsos pelos romanos, enfim eles poderiam voltar para sua terra

Profecia:

de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!”

Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que o te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra “( Gn 12. 2,3).

Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aqueles que te amam”.

Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios”.

Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Haja paz dentro de ti.“(Salmo 122.6-8).

Observação importante:

Existe uma falsa informação de que houve empate na votação, e que Osvaldo Aranha deu o voto de minerva para decidir a questão, mas essa informação não é verdadeira.

Israel

Muitos brasileiros não sabem desta informação!

Osvaldo Aranha foi reconhecido pelo povo judeu como um dos articuladores para criação do Estado de Israel. Em sua homenagem há uma rua em Tel Aviv, capital financeira de Israel, que leva o seu nome.

A Grã-Bretanha deveria retirar-se da Palestina no dia 14 de maio de 1948.

 

  Projeção internacional 

Israel

Como é bom ajudar seu próximo!

Placa em memória de Osvaldo Aranha em Jerusalém.

A PROFECIA:

No dia 15 de maio de 1948 nascia o Estado de Israel, cumprindo a profecia feita por Isaias, mais de 2600 anos antes:

 Quem já ouviu falar de uma coisa assim? Quem já viu isso acontecer? Pois será que um país pode nascer num dia só? Uma nação aparece assim num instante? Mas foi isto mesmo que aconteceu com Sião: assim que sentiu dores de parto, ela deu à luz os seus filhos”. Isaias 66:8

Homenagens

Por ter sido um dos articuladores da criação do estado de Israel foi homenageado emprestando seu nome a uma rua em Tel Aviv, Israel. Pelo mesmo motivo, há também uma rua com o seu nome em Bersebá, Israel, localizada no Campus da Universidade Ben-Gurion do Negev. Homenagem também concedida em Porto Alegre – RS no Bairro Bom Fim, onde se instalaram centenas de imigrantes judeus.

Luís Martins de Sousa Dantas (Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 1876 — Paris, 16 de abril de 1954 ) foi um diplomata brasileiro.

Sob o ofício de missão diplomática brasileira, na França, concedeu visto para o Brasil a vários judeus e outras minorias perseguidas pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, contrariando a política do governo Vargas. Em 10 de dezembro de 2003. Foi proclamado “Justo entre as nações”, título atribuído a pessoas que arriscaram suas vidas para ajudar os judeus perseguidos pelo regime nazista e fascista, no Museu do Holocausto (Yad Vashem), em Israel. O resgate de sua história deve-se ao professor Fábio Koifman em seu livro “Quixote nas trevas”.

Prêmio “Justo entre as nações”

É um prêmio instituído pelo Yad Vashem como reconhecimento a todos os não Judeus que durante a II Guerra Mundial salvaram vidas de Judeus perseguidos pelo regime Nazi.

Para além de dois cidadãos Brasileiros (Luís Martins de Sousa Dantas e Aracy de Carvalho Guimarães Rosa) e um Português (Aristides de Sousa Mendes), muitos outros são os famosos agraciados com este prémio, como sejam o Monsenhor Giuseppe Placido Nicolini, o industrial Oskar Schindler o núncio Angelo Rotta, os Cardeais Vincenzo Fagiolo e Pietro Palazzini, o Padre Alfred Delp, as Princesas Alice e Helena da Grécia, Raoul Wallenberg, entre muitos outros.

Shalom Israel.

Adm: Luiz Carlos

Fontes:  Bíblia Sagrada, Blog do Planalto e wikipedia enciclopédia livre.

Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel,Israel

 

 

 

 

Be Sociable, Share!

Discover more about article spinning :- no-risk trial

29 Responses to “Brasil, sua influência na Nação de Israel.”

Leave a Reply

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.